Tombense é o primeiro a desistir, entra a Caldense

Fonte: http://www.drjuliotombense.blogspot.com.br

O presidente do Tombense, Lane Gaviolle, está satisfeito com a mera chegada às semifinais do Mineiro. Gaviolle acredita que o Tombense fez uma "excelente campanha" em sua estréia na elite do futebol mineiro. 

Para o mandatário do time de Tombos, fica uma sensação de "dever cumprido" pelo desempenho da equipe na competição - o que, em sua opinião, serviu para colocar o clube em evidência em Minas Gerais. "Fizemos uma excelente campanha, contratamos bons jogadores, montamos uma comissão técnica muito boa e conseguimos colocar o Tombense em evidência no futebol mineiro", analisou o presidente. O Tombense encerrou a fase de classificação do Campeonato Mineiro na terceira colocação, o que garante à equipe o direito de jogar a Série D do Campeonato Brasileiro.

No entanto, Gaviolle não vai disputar a Série D, abrindo a vaga para a Caldense. O presidente ressaltou os custos que envolvem a disputa de uma competição nacional, mas confirmou que o Tombense irá disputar, ao menos, a Copa do Brasil. "A Copa do Brasil, com certeza, vamos disputar, pois no primeiro semestre do ano que vem estaremos com o time montado e isso facilita muito", completou o presidente. A diretoria do Tombense dispensou todos os jogadores nesta Segunda-Feira(06). 


Com isso a segunda vaga mineira passa para a Caldense, pelo menos é ela quem está classificada, porem o presidente já disse que não pretende disputar, assim deve repassar para o Guarani de Divinópolis. Os outro clubes na sequência são Nacional, América de Teófilo Otoni e Araxá. Se nenhum desse quiser, será convidados os clubes da segunda divisão, e se nenhum clube mineiro topar disputar, a vaga irá para o estado de São Paulo, pois é o estado melhor reanqueado dentro da chave.

16 comentários:

  1. Parece q a Caldense e Guarani já avisaram q não vão jogar tb...

    ResponderExcluir
  2. Araxá deve disputar. Agora, essa informação de segunda divisão está errada, seguindo o regulamento , só pode entrar times do campeonato onde houve a desistência, ou Copas. Segundas divisões estaduais não entram.

    ResponderExcluir
  3. Por isso que eu defendo o fim da série D, e voltar a antiga série C com os 64 clubes, só que com uma diferença, os 32 que passassem para segunda fase asseguraria a permanência para o ano seguinte. O abismo que separa a série B do brasileiro para a D, afugenta muitos patrocinadores e portanto vemos essa falta de investimentos aumentando assim a precariedade do torneio, com clubes sem condições financeiras para se manterem na competição, Acho que uma série C com 64 clubes regionalizados como era antes, é bem mais eficaz e até dá mais visibilidade no cenário nacional, por estar próximo a série B.

    ResponderExcluir
  4. Por isso que eu defendo o fim da série D, e voltar a antiga série C com os 64 clubes, só que com uma diferença, os 32 que passassem para segunda fase asseguraria a permanência para o ano seguinte. O abismo que separa a série B do brasileiro para a D, afugenta muitos patrocinadores e portanto vemos essa falta de investimentos aumentando assim a precariedade do torneio, com clubes sem condições financeiras para se manterem na competição, Acho que uma série C com 64 clubes regionalizados como era antes, é bem mais eficaz e até dá mais visibilidade no cenário nacional, por estar próximo a série B.

    ResponderExcluir
  5. Alex, acho que está enganado, há 4 anos tínhamos a Série C com 64 clubes, a desistência era até maior que os tempos atuais, portanto, acredito que esta distância pra B não interfira na participação.
    A CBF, por incrível que pareça, está encontrando a solução, campeonato com mais datas, com calendário, isso valerá a partir do ano que vem. Digo mais, a tendência é que a Série C se fortaleça cada vez mais e tenhamos não duas séries fortes, mas três (60 clubes), lembrando que este ano já temos TV aberta e fechada. Quem não se lembra o lixo que era a Série B até final dos anos 90? Só com grupos, times fazendo 8 jogos e entrando de férias, a B mudou, e a C segue o mesmo caminho, o que atrairá o desejo de todos que estão na D.

    ResponderExcluir
  6. A Caldense sempre conquistou a vaga para a antiga Série C, e nunca disputou, isso derruba a tese do Alex Barreto. Normal as desistências.

    ResponderExcluir
  7. Está errada a informação. Com desistência de Tombense, Caldense e Guarani, o próximo a ter direito é o Nacional de Patos de Minas que já disse que tem interesse.

    ResponderExcluir
  8. Está errada a informação. Com desistência de Tombense, Caldense e Guarani, o próximo a ter direito é o Nacional de Patos de Minas que já disse que tem interesse.

    ResponderExcluir
  9. Ola amigo.
    Permita-me corrigir uma parte da sua postagem.

    A ordem correta dos times é: Caldense, Guarani, NACIONAL (não foi citado no texto), América-TO e, por ultimo, Araxá.

    ResponderExcluir
  10. Concordo com o penultimo Anonimo. A serie C está ficando cada vez melhor, deixa ela como tá, a B evoluiu, a C está evoluindo e a D ano que vem será com 32 clubes e no minimo 14 jogos. Parece mentira mas a CBF tá fazendo um bom trabalho nas divisões menores nos ultimos anos.

    ResponderExcluir
  11. @Vitor e @Eduardo Kaehler

    Muito obrigado, já foi corrigido.

    ResponderExcluir
  12. O problema da Série D é que não tem clubes garantidos para a edição do ano seguinte para quem fazem uma boa campanha, mas não sobem. Para mim, essa classificação seria do 5o até o 16o colocados e haveria 48 vagas oriundos dos Torneios Estaduais totalizando 64 clubes (4 rebaixados oriundos da Série C, esse pessoal do 5o até o 16o e as 48 vagas estaduais).

    ResponderExcluir
  13. ANDRÉ LUIZ (HEAVY)13 de maio de 2013 09:29

    Tenho uma sugestão de fórmula que atenderia ao critério de se garantir clubes de boa campanha para o campeonato do ano seguinte:

    1ª Fase: Seria alterado o nº de clubes de 40 para 48, oque daria 8 chaves com 6 clubes (turno e returno/10 datas). Com isso acabaria esse negócio do "stand by" da rodada, em que um clube fica 2 semanas sem jogar. Dos 6 de cada chave, classificariam-se os 3 primeiros, totalizando 24 classificados. Os eliminados desta fase não permanecem p/ o ano seguinte.

    2ª Fase: Os 24 classificados seriam distribuídos em 4 chaves com 6 clubes (turno e returno/10 datas). Classificam-se p/ as quartas de final os 2 primeiros de cada chave, num total de 8 clubes.

    Quartas/Semifinais/Final: Mata-mata até a final. Os 4 semifinalistas garantem o acesso.

    Permanência para a série D do ano seguinte: Pegam-se os 24 clubes que disputaram a 2ª fase e faz-se uma TABELA AGREGADA DE PERMANÊNCIA. Essa tabela agregada única é a soma de todos os pontos desses 24 clubes na 1ª e 2ª fases, independentemente da divisão por chaves. Ao final da 2ª fase, pega-se essa tabela agregada de 24 clubes e os 20 primeiros já estarão garantidos na série D do ano seguinte. Os 4 últimos estão eliminados. Como dos 20 primeiros da tabela agregada, 4 deles devem garantir acesso à série C nas quartas de final, sobram 16 clubes.

    Série D do ano seguinte - Participantes:

    1) 4 rebaixados da série C;
    2) 16 clubes remanescentes da tabela agregada de permanência;
    3) 27 clubes classificados via campeonato estadual (1 por federação);
    4) Sobra uma vaga, que poderia ser dada ao 1º estado do RNF, ou então ao melhor clube sem divisão do ranking da CBF.

    ResponderExcluir
  14. Na minha opinião está quase perfeito como será a partir do ano que vem: 4 grupos de 8, garantido calendário de 14 jogos para todos os clubes (isso é excepcional). Fases seguintes, tudo mata mata.

    1) 4 rebaixados da Série C;
    2) 1 remanescente do ano anterior (5º colocado)
    3) 27 classificados via estaduais

    Só não gosto dessa regionalização em fases finais, pode ser que os 4 melhores times da competição sejam do NO / NE, ou Sul / Sudeste, e apenas 2 podem se classificar, isso desqualifica a competição.

    ResponderExcluir
  15. A Série D tem que existir sim.
    Só não concordo com os cruzamentos na 3ª fase, pois a disputa torna-se regionalíssima. Na prática são 4 campeonatos diferentes, pois sobem necessariamente 1 time do grupo 1 ou 2, 1 time do grupo 3 ou 4, 1 do grupo 5 ou 6 e 1 do grupo 7 ou 8.
    O cruzamento deveria ser cruzado pois aí não seria uma disputa regional !!

    ResponderExcluir
  16. Concordo com anônimo de cima, nas fases finais o campeonato deveria ser direcionada para que subam os 4 melhores da competição, independente da localização geográfica. A partir do ano que vem, melhora um pouco, já que invés de 4 campeonatos diferentes, como citado acima, serão 2.

    ResponderExcluir

- Não exagere nos comentários, zoações são permitidas, comentários racistas, xenófobos, preconceituosos serão deletados.

Mural